quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Em sinal de Amor


Eles estavam numa cidade que lhes era especial. Uma cidade que em cada cantinho tem as suas memórias especiais. Intitulada por alguns como a Cidade do Amor, não podiam estar mais de acordo. E foi nesta Cidade que andaram de mão dadas debaixo de uma chuva miudinha, que se abraçaram junto ao rio no meio da ponte e que juraram eterno amor dentro daquele que era o espaço deles, o refúgio que era somente daquelas duas almas apaixonadas e entregues uma à outra. A chuva miudinha arrefecera-lhes as mãos, os pés e todo o resto do corpo, que mesmo estando coberto, sentiu o frio que atravessava aquela noite.
Uma noite a dois, uma chávena de leite bem quentinho e abraços apertados e amorosos fizeram com que o corpo de cada um se sentisse, minuto a minuto, cada vez mais confortável, mais seguro, mais protegido de todas as maneiras. Ela adormeceu no seu peito, agarrada à mão do seu cúmplice, e ele adormeceu dando beijinhos na testa em sinal de respeito, e sussurrando palavras ao ouvido em sinal de amor.
E ficaram assim, entregues um ao outro, ao amor que os aquecia e à cumplicidade que os unia a cada dia passado juntos.

Se isto não é amor, acho que ela nunca irá amar na vida!
Mas ela ama-o, muito...

4 comentários:

incógnita disse...

lovely =)

Raa º disse...

Selo para ti no meu blog (: *

Raa º disse...

Ofereço-te o meu selo oficial (: *

* Jacklyne disse...

sem dúvida que é amor!
obrigada pelo comentário, és um doce Raquel :) *