segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Não sei o que dizer, mas afinal disse tudo


Não sei o que dizer, porque as palavras certas não me estão a surgir no momento certo. Não sei o que sinto, porque de tão grande que é, não me cabe cá dentro e muito menos se torna fácil falar sobre ele. Sei que existem misturas cá dentro, que se realçam nos meus gestos, no meu olhar, na forma de levar a minha vida e até na forma como digo as coisas. Sei que em cada palavra que te envolve há paixão mas muito mais do que isso, há um grande amor. Sei que há carinho, mas muito mais do que isso, há um grande orgulho em ti. Sei que há cumplicidade, e tanto como isso há uma grande amizade. Sei que aquilo que nos une é totalmente diferente de tudo o que já passou na minha vida, e realmente muito mais intenso do que qualquer coisa que já tenha feito parte dela. Somos dois cúmplices, que vivemos uma vida partilhada, sentida, alegre e e única, porque tanto tu como eu somos únicos na vida um do outro. Sei que me amas, e eu sei que preciso de ti tanto como tu precisas de mim para adormecermos descansados e acordarmos felizes, por sabermos que do outro lado temos alguém que nos responde a uma mensagem de bom dia, que nos atende o telemóvel para ouvir um "amo-te" ou simplesmente para sentir a presença que aquece o coração. Sabes que te amo e que vejo em ti uma parte do meu passado, a minha vida no presente e o meu sonho para o futuro